Boa tarde, são 14:49:38 | Alvor de Sintra RSS

 

Publicidade

Menu » Jornal Digital » Agenda Cultural » Contactos Úteis » Dossiers » Farmácias de Serviço » Fórum » Lotarias » Meteorologia »

 » Ambiente
 » Cultura
 » Desporto
 » Economia
 » Educação
 » Fora de Portas
 » FotoReportagem
 » Idosos
 » Instituições
 » Internacional
 » Juventude
 » Local
 » Nacional
 » Obras
 » Opinião
 » Política
 » Tecnologias
 » Transportes

 

Serviços

 » Agenda Cultural
 » Farmácias de Serviço
 » Lotarias
 » Meteorologia
 » TV Alvor de Sintra

 

Suplementos

 » Agualva - Cacém
 » Algueirão - Mem Martins
 » Queluz
 » Vila Sintra

 

 » Contactos
 » Critérios de Publicação de Comentários
 » Estatuto Editorial
 » Ficha Técnica
 » Nós
 » Publicidade

 

 

» Página Inicial » Destaque

 

 

Os espanhóis que aguardem!

Após duas semanas de impossibilidade para a escrita, retorno hoje às crónicas no Alvor, retomando uma temática por mim focada no início de Janeiro, quando escrevi sobre uns espanhóis iluminados que estariam para chegar e salvar Sintra do marasmo, reavivando para tal um velho e bolorento projecto para Vale da Raposa, na Estefânia.

( Sábado, 4 de Março de 2006 )

Ouvir

Mais informação sobre a versão audio

Download do conteúdo em versão MP3

 9 Comentários | Enviar Artigo por E-mail | Imprimir

Ao que parece, os tais espanhóis terão de acalmar os cavalos e refrear os ânimos. Digo isto porque, instado a esclarecer o rumor da construção de um centro comercial e de um parque de estacionamento na Correnteza, o (agora) Comendador Fernando Seara afirmou peremptoriamente, da tribuna da Assembleia Municipal, que nunca permitiria que tal aconteça.

Ao assumir tal postura, o autarca, que Sampaio agraciou por “patriotismo de cidade e município”, prestou um serviço relevante a Sintra e ao país, arrancando-me um suspiro de alívio e contentamento.

Confesso, no entanto, não ter ficado satisfeito de todo, uma vez que o futuro ainda está em aberto e os interesses à espreita. Isto porque, ao garantir que não permitirá tal projecto, o presidente da CMS não adiantou quais as ideias que ele e o seu Executivo têm (se é que as têm) para o local.

E as ideias que Seara tem sobre algumas matérias preocupam-me. Não por serem monstruosas, intragáveis ou abomináveis. Preocupam-me porque o Comendador faz delas um mistério indecifrável, fechando-as em segredo e encriptando-as, recorrendo habilmente ao silêncio ou a autores clássicos para adensar a dúvida.

Encontramos exemplos desta prática desconcertante na eternamente adiada revisão do PDM de Sintra, plano que afirma querer rever, recusando dizer quando o fará. O mesmo acontece com as malfadadas Empresas Municipais, cujo roteiro da reestruturação ainda é um mistério, apesar das sucessivas alterações que se têm feito aos seus regulamentos. Poderia também dar como exemplo o Parque de Campismo da Praia Grande, que, segundo o que Seara terá dito à Comissão de Utentes, irá reabrir, não tendo esclarecido, no entanto, em que moldes isso acontecerá. Poderia ainda recordar o famoso lago dos Quatro Caminhos, na Agualva, destinado a ser tapado por um atentado urbanístico, projecto que, ao que consta, o Executivo, face à pressão popular, terá arquivado por prazo ilimitado, não havendo sinais de uma alternativa para o lugar.

À recusa determinada do mamarracho da Correnteza, falta a salvaguarda de que, no futuro, um outro autarca menos escrupuloso não irá retroceder no caminho agora feito. 

A defesa absoluta do património da Vila de Sintra e zona envolvente só estará garantida quando o poder municipal e os munícipes decidirem o que ali se irá fazer nas próximas décadas, ou seja, quando se realizar um plano de pormenor para toda aquela área, que equacione não só o ordenamento como também a vida que ali se quer viver.

Sobre esta necessária e urgente planificação, Seara nada adiantou. Lá terá as suas ideias, dirão alguns…

André Beja

 9 Comentários  Enviar por E-mail  Imprimir Artigo

 

 

Cronistas

André Beja

 » Assim vai Sintra: que fazer com estes entulhos?

 

António Filipe

 » Conte comigo, Professor Galopim de Carvalho

 

António Rodrigues

 » Europa – Desafio e não desculpa

 

António Vicente

 » A Casa do Castelo

 

Cândido e Silva

 » Grupo de Ballet de Sintra

 

Cardoso Martins

 » Justitia Regnorum Fundamentum

 

Céu Ribeiro

 » IVG - um direito de cidadania

 

Cortez Fernandes

 » “ABAIXO O IC 19, MORRA O IC 19, VIVA A AVENIDA DO OCIDENTE”

 

Fátima Campos

 » As golpadas do desespero

 

João Soares

 » Um Ano

 

Miguel Carretas

 » Cultura Não É (SÓ) Paisagem

 

Luís Fernandes

 » Parque Eólico de Almargem do Bispo

 

 

 

     

 

 Director: Gui Aragão Reis

Registo Instituto da Comunicação Social: 124 724

  Copyright © 2005 Alvor de Sintra | Todos os direitos reservados